SUP Paradise, a iniciativa de Sérgio Laus para quem quer evoluir no stand up

comentários

Nem só de pororocas vive Sérgio Laus. O homem que já surfou mais de 150 ondas no meio da mata e em rios é um verdadeiro waterman. Além da busca por novos picos em que o fenômeno da natureza aconteça, Serginho Laus se dedica ao surfe tradicional e ao stand up paddle. O detalhe é que, no caso do SUP, Serginho não usa o esporte só para si. E qualquer um pode ter acesso ao conhecimento do paranaense sobre as diversas possibilidades que o SUP permite.

Através da SUP Paradise, Laus organiza expedições para diferentes lugares do Brasil que incentivam a prática do stand up. As excursões acontecem em grupos de até 15 pessoas e trabalham diferentes aspectos do esporte, dependendo do nível da turma envolvida. Para iniciantes, são trabalhadas técnicas de remada, características dos equipamentos necessários, geografia do local da expedição, planejamento da viagem e gerenciamento de riscos. Para níveis intermediários, o foco fica em análises de remada e correções com fotos e vídeos. “É bem amplo. Vai desde o aprendizado até o aperfeiçoamento de técnicas. Trabalhamos com a motivação para as pessoas se superarem a cada expedição”, comenta.

A amplitude comentada por Serginho não diz respeito somente ao nível de conhecimento das pessoas que podem praticar o SUP. As modalidades são muitas: é possível treinar remadas para corridas (conhecido como SUP Race), travessias, pegar ondas (SUP Wave) e por lazer. Para pessoas focadas no SUP Wave, por exemplo, Serginho recomenda um nível de prática mais desenvolvido, já que é uma atividade de alto rendimento. “O stand up paddle é um esporte completo. Adultos, crianças e idosos podem praticar, já que existem pranchas para cada biotipo de pessoa. Além disso, é muito legal ver pessoas que sempre tiveram o sonho de subir em uma prancha flutuando sobre a água”.

A última expedição da SUP Paradise aconteceu na Ilha do Superagui, no Paraná. A próxima, que acontece em junho, será focada no SUP Wave e o local será Camboriú, em Santa Catarina. Para expedições nacionais, as atividades podem acontecer em um fim de semana. Para expedições internacionais, as ações acontecem entre 10 e 15 dias, dependendo da agenda dos participantes. “Temos projetos para realizar expedições para Alagoas, Amazônia, Patagônia, Itália e até para o Alaska futuramente”, destaca Serginho.

A post shared by Serginho Laus (@serginholaus79) on

As atividades acontecem em rios, represas e no mar. Sérgio Laus comenta que o SUP é uma alternativa de treino para ele próprio. Em dias em que o mar não apresenta condições consistentes, o stand up é a modalidade escolhida para manter o rip em dia. Isso pois os benefícios de uma remada não são poucos. “Trabalhamos em uma plataforma instável. Então exercitamos o corpo todo: pernas, abdômen e toda parte superior do corpo. Fortalecemos tendões, tornozelos e diversos outros músculos e articulações, além de contribuir para o crescimento do equilíbrio. Uma remada intensa de uma hora pode chegar a queimar 500 calorias”. E tudo isso com um professor que é referência dentro da água e com visuais alucinantes como esses:

A post shared by Serginho Laus (@serginholaus79) on

A post shared by Serginho Laus (@serginholaus79) on

A post shared by Serginho Laus (@serginholaus79) on

#JoinTheAdrenaline