comentários

ZOOM HB: Jovani Prochnov

Transformação. Essa é a palavra que define o trabalho de Jovani Prochnov. Nascido em Caxias do Sul, mas radicado em Florianópolis há 10 anos, o fotógrafo gaúcho apresenta um acervo recheado de imagens de skate. E explica o motivo da sua preferência pelo esporte e da palavra que define o mote das suas imagens. “Gosto da ação, do click rápido, do desafio de transformar uma cena pouco fotogênica em algo bom para os olhos. O skate sem dúvida vem em primeiro lugar, mas também gosto de fotografar os lugares por onde passo”, comenta.

E as preferências de Jovani são claras nas suas fotos. A paisagem e o skatista se integram. E se essa integração é harmônica, muito se deve ao que o fotógrafo busca. Saber como lidar com a variação de ângulos, de luz, lentes, entre outros fatores, são ferramentas de todos os fotógrafos. Mas o foco em uma modalidade e a maneira de pensar as imagens são determinantes para o conjunto de cada registro.

“Gosto muito de fotografar skate nas ruas, o street skate na sua essência, pois é mais desafiador e envolve muitos fatores que não temos controle. Sendo assim, o click deve ser preciso. Tento buscar na composição um diferencial, pois minha visão e meu feeling nunca serão iguais aos de outra pessoa. Acredito que é nessa hora que identificamos o trabalho de cada fotógrafo”, comenta.

Com preferência por Florianópolis e pela Europa como cenários de atuação, Jovani se inspira em nomes como Sebastian Rojas, fotógrafo de surfe, e Brian Frick, fotógrafo de skate. O início na profissão veio após o convite de um amigo para fotografar alunos de uma escolinha de surfe, em 2007. E, após a primeira experiência, não parou mais. Hoje, o gaúcho vive somente da sua produção audiovisual. E alimenta o sonho de poder viajar o mundo com a câmera a tiracolo, sempre somando experiências e bagagem para seus projetos.

Entre as dificuldades, aponta a oscilação financeira como maior obstáculo. Mas faz o contraponto com todos os benefícios da sua trajetória. “Horas está bom, outras não. No restante, só tive boas experiências. Viajei para diversos lugares do Brasil e do mundo, fiz grandes amigos, aprendi a sempre buscar meu melhor e a sempre buscar a evolução, pois quanto mais fazemos, mais colhemos”.

Descreva você mesmo

Amsterdam

Sua melhor foto

Praga

Um momento de adrenalina

Florianópolis

Um lugar

Florianópolis

O motivo que fez você virar fotógrafo

SONY DSC


Cordilheira dos Andes

comentários

ZOOM HB: Marcio Rovai

Marcio Rovai é um daqueles nomes que inspira qualquer um que esteja pensando em dar uma virada na vida. Quem acompanha a rotina do fotógrafo paulista e vê ele distribuindo seus cliques em diferentes países, como na sua recente temporada de trabalho na Indonésia, não imagina que sua carreira como profissional tem apenas quatro anos. E se ficou curioso em saber como isso aconteceu, o próprio Marcio faz questão de explicar.

A jornada como fotógrafo profissional é recente, mas a de surfista já conta com mais de vinte anos de “carreira”. Apaixonado desde sempre pelo mar, o paulista se formou em Ciências Biológicas, especializando-se mais tarde em Biologia Marinha. “Infelizmente não pude dar continuidade à profissão e fui trabalhar como gerente em um posto de gasolina. Depois de algum tempo, estava extremamente esgotado e cansado. Navegando no Facebook, vi que o mestre Sebastian Rojas ministrava cursos de fotografia de surfe e resolvi fazer um. Após concluir o primeiro curso, decidi me tornar fotógrafo e desde então busco sempre me atualizar com os melhores profissionais da área”, comenta.

Após a mudança, Marcio trilhou uma carreira digna da sua paixão pelo oceano. A trabalho, conheceu países como Austrália, Costa Rica e Maldivas, além da Indonésia, definida como a realização de um sonho profissional. Mas o passaporte carimbado não é sua única credencial. A atuação com grandes surfistas também é parte da rotina de quem busca uma carreira sólida. E para nossa alegria, um dos focos das lentes de Rovai foi Bruninho Santos, integrante do nosso HB Team. “Sempre ouvia falar do Bruninho, mas só tive a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente em Bali. E da melhor forma possível: no inside corner de Uluwatu, com os dois fazendo o que mais gostam. Ele entubando e eu fotografando (risos)”.

A post shared by bruninhosantos (@bruninhosantos) on

Se os benefícios são as chances de viajar o mundo e trabalhar com o esporte que sempre amou, as dificuldades e aprendizados da profissão também são aspectos destacados. “O começo é muito difícil. Mas o que me ajudou foi que sempre me preocupei em estudar fotografia, fazendo workshops com grandes fotógrafos. Isso me ajudou a entrar no mercado e a disponibilizar imagens de qualidade para os meus clientes desde o começo”.

Com atuação sobretudo no litoral norte de São Paulo, predominantemente em Maresias, Marcio aponta Zak Noyle e seu trabalho com diferentes tipos de lentes como uma das inspirações para seu trabalho. E para que você conheça um pouco melhor quem é Marcio Rovai e suas fotos, pedimos que ele separasse cinco imagens que definam quem ele é. Confira:

Descreva você mesmo

Sua melhor foto

Um momento de adrenalina

Um lugar

O motivo que fez você virar fotógrafo

Curtiu? Para mais imagens como essas, é só seguir os perfis @hbbrasil e @marcio.rovai no Instagram. #JoinTheAdrenaline

comentários

Os melhores cliques de William Zimmermann na Indonésia

A recente passagem de William Zimmermann pela Indonésia rendeu algumas imagens que traduzem tudo que qualquer surfista sempre sonhou. Ilhas paradisíacas com palmeiras e areia branca, água cristalina e, o que mais importa, ondas e mais ondas perfeitas. Afinal, quem nunca sonhou em conhecer aquela onda que desenhava no caderno entre uma e outra aula no colégio?

Pensando em mostrar para nossos leitores os diferentes locais e ângulos captados por William nessa trip, separamos os melhores cliques do fotógrafo catarinense para atiçar um pouco mais a sua vontade de estar em meio aos tubos indonésios:

Macaronis

Mentawai

Padang-Padang

Curtiu? Então siga os perfis @hbbrasil e @williamzimmermann no Instagram e veja mais imagens iradas como essas. #JoinTheAdrenaline

comentários

ZOOM HB: Fellipe Ditadi

Um fotógrafo estilo clássico. Assim podemos definir Fellipe Ditadi, carioca morador do Recreio e atuante no Rio de Janeiro. O estilo clássico mora na peculiaridade do trabalho de Fellipe, que não foca suas lentes somente no surfe, mas sim em um recorte que é sua paixão. O longboard, que por si só já traz um espírito nostálgico ao esporte, não é somente o foco, mas sim o motivador do trabalho de Fellipe.

“O surf clássico faz parte do meu dia a dia. Há alguns anos, foi algo natural migrar minha arte da fotografia para este caminho. Creio que o longboard seja muito mais que apenas o surf em si. Todo o lifestyle desse segmento do surf me agrada. Por isso escolhi seguir assim”, explica. Com preferência pelo litoral carioca, Fellipe aponta o México e a Indonésia como outros locais em que gosta de disparar seus cliques.

Atuando unicamente como fotógrafo, o carioca imagina que seu destino seria outra área artística, como a música ou a pintura, caso não trabalhasse com produção visual. “Mas a fotografia me escolheu e eu escolhi ela (hahaha). Desejo continuar fotografando e manter minha mente sempre em evolução, de preferência fotografando longboard todos os dias (risos)”.

A post shared by Fellipe Ditadi (@fellipeditadi) on

A post shared by Fellipe Ditadi (@fellipeditadi) on

Como em qualquer outra área da arte, a fotografia sempre traz dificuldades no início e durante toda a carreira. Mas a liberdade criativa é um dos maiores benefícios apontados por Fellipe na profissão, que também não esconde um dos principais ganhos de fotografar os pranchões na água. “Um dos motivos que me mantém em atividade é poder desenvolver algo que vem diretamente da minha criação, poder conhecer novos lugares, pessoas e culturas. E ainda por cima sempre ter tempo de poder surfar”, destaca.

Fellipe aponta Henrique Pinguim, Rafaski, Gustavo Cabelo, Raskal, Giang, Luki,
Gustavo Paixão, Moises Almeida e Thais Monteiro como fotógrafos que inspiram seu trabalho. E para que você entenda um pouco melhor quem é Fellipe Ditadi, ele separou as imagens abaixo para que quem quer conhecer mais afundo o seu trabalho:

Descreva você mesmo

“Foto minha em Canggu, Bali. Lugar que eu gosto muito e espero voltar
todos os anos.”.

Sua melhor foto

“Difícil falar qual foto mais irada, pois vivo da fotografia há muitos anos. Já fotografei muita gente boa, mas sempre tenho um gosto maior pelas últimas fotos.”.

Um momento de adrenalina

“Escolhi essa foto da minha amiga e longboarder, Chloé Calmon. Essa foto foi feita na praia da Macumba, no quintal de casa. O mar estava meio grande para longboard, foi a última luz do dia. Uma boa lembrança.”.

Um lugar

“Praia do Peró em Cabo Frio. É um lugar bem especial para mim. Costumo ir pelo menos 1 vez por mês para produzir lá. Altas ondas e muito bom para fotografar longboard quando está nas condições certas.”.

O motivo que fez você virar fotógrafo

“Um dos maiores motivos que eu escolhi para seguir na fotografia foram os meus amigos. Eu vivo o que eu fotografo todos os dias, então são os meus amigos que me motivam diariamente”.

Confira outra entrevistas da ZOOM HB com os fotógrafos de surfe William Zimmermann e Pedro Barcelos e o fotógrafo gaúcho de skate Maurício Porton.

comentários

João Daniel Edde, o novo integrante do HB Team

Buscando sempre apoiar atletas que têm a adrenalina no sangue e que trabalham com foco e dedicação para a evolução do esporte, a Hot Buttered tem um novo integrante na sua equipe de atletas. Um integrante, mas que vale por dois ou até mais atletas. João Daniel Edde, surfista e atleta de kitesurfe, é o mais novo nome do HB Team.

Se tem uma palavra que pode definir João, é versatilidade. Além do surfe e do kitesurfe, o carioca ainda pratica wakeboard e se define como um simpatizante que se aventura em todos os esportes que envolvem uma prancha, como skate e snowboard. E essa disposição é um traço da personalidade que veio do berço. “Acho que meu principal atributo é conseguir me adaptar às diversas situações que o esporte pede. Tenho uma conexão muito forte com esportes de prancha, já que quando era um bebê de fralda meu pai já me botava em cima de um skate. Também sou muito ligado ao oceano, então acabo me sentindo confortável quando junto as duas coisas”, comenta.

A paixão pelo esporte é evidente. Iniciando no surfe desde criança, João começou a praticar o kitesurfe mais tarde. “O esporte na minha vida é tudo: saúde, bem-estar e felicidade. Desde que me entendo por gente, eu estava na água mergulhando com meu pai. Depois surfando e mais tarde com o kite, que fez com que o esporte se tornasse a minha profissão”. Surfista de base goofy, João aponta as esquerdas da Indonésia como suas ondas favoritas. Para o kite, o local escolhido é Arubinha, um pico alucinante do Rio de Janeiro com uma das melhores condições do mundo para o treino da modalidade freestyle.

A post shared by João Daniel Edde (@jdedde) on

A post shared by João Daniel Edde (@jdedde) on

O kite tomou conta da vida de João e você provavelmente já viu os vôos e viagens dele na tela da sua televisão. Com o programa ‘Kite Extremo’, do canal Off, João Edde e seu amigo, Reno Romeu, percorrem o mundo atrás dos melhores locais para a prática do esporte. A ideia surgiu através da dedicação de ambos ao kitesurfe e devido ao cansaço que ambos sentiam da mesmice. “A participação no ‘Kite Extremo’ me permitiu evoluir muito pessoalmente, através da quebra de barreiras e da superação de desafios em aventuras inéditas. Conheci lugares incríveis, como a Islândia e a Noruega, e cresci pessoal e profissionalmente. Os treinos não param, e desde de que a primeira temporada foi ao ar já estávamos pensando na produção da segunda”.

A post shared by João Daniel Edde (@jdedde) on

O #JoinTheAdrenaline da HB está sempre presente na vida de João. Tanto no modo como ele leva sua vida quanto no próprio círculo de amizades. “Sempre que eu inicio um esporte, eu começo a me acostumar e a adrenalina não é mais a mesma, o que me faz sempre buscar novos desafios. Sempre vou atrás de saltos mais altos. Inclusive, nos últimos dias encontrei o Gustavo Areias, meu amigo e agora companheiro de equipe, para fazer um curso de skydive e virar paraquedista”. E esperamos que essa amizade nos renda ainda mais imagens como essas… Bem vindo, João!

A post shared by João Daniel Edde (@jdedde) on

A post shared by João Daniel Edde (@jdedde) on

A post shared by João Daniel Edde (@jdedde) on

A post shared by João Daniel Edde (@jdedde) on